manual de acessibilidade atitudinal »

A mudança de atitude começa em você

Siga essas 16 dicas para ser mais inclusivo e tornar o mundo mais acessível para todos.

 
 
 
 
pernambuco-inclusivo-12.jpg
 

01.

Pessoas com deficiência não têm vergonha de falar sobre a sua deficiência. Não é ofensa perguntar algo. Talvez, essa seja uma barreira sua. É preciso deixar de lado a ideia do “coitadismo” e entender que, apesar de algumas limitações, ali existe uma pessoa que vivencia tudo como nós.


 

02.

Ao falar com uma pessoa em cadeira de rodas, projete-se na mesma altura que ela. Tente conversar olhando-a nos olhos. Sente ou agache, pois, é incômodo fazer o outro ficar com o pescoço para cima. Na hora da fotografia, a mesma coisa: seja gentil e agache na hora do click com pessoas que estão em cadeiras de rodas.


 

03.

Sorria! Comece um diálogo. Ofereça ajuda. Aquele bom e velho “posso te ajudar?” pode iniciar uma bela amizade.


 

04.

Procure utilizar os termos corretos. Pessoa com deficiência é o termo universal designado pela ONU, porque antes de qualquer deficiência, existe uma pessoa cheia de potenciais e emoções. Esqueça os termos antigos como “portador”, “necessidades especiais”, “cadeirante” e “excepcional”. Esses nomes atualmente são considerados discriminatórios.


 

05.

Jamais utilize termos pejorativos como retardado, mongol ou inválido. Utilize deficiência intelectual.

 

dimensões da acessibilidade »

A inclusão está em cada um de nós

A acessibilidade caminha por muitas dimensões. Além de arquitetônica, ela é comunicacional, instrumental e atitudinal – sendo esta última uma das mais importantes extensões da inclusão. A seguir estão mais algumas dicas para que você se torne uma pessoa mais inclusiva.

 
 
 
pernambuco-inclusivo-15.jpg
 

06.

Não subestime uma pessoa com deficiência intelectual. Sempre a cumprimente olhando nos olhos. Não se refira a ela falando com o seu cuidador, acompanhante ou familiar.


 

07.

Não infantilize a pessoa porque ela tem uma deficiência. Jovens e adultos com deficiência têm entendimento e não precisam ser tratados como eternas crianças. Se for uma criança, trate como criança. Se for adulto ou jovem, trate-o como tal.


 

08.

Você pode se oferecer para empurrar ou ajudar uma pessoa em cadeira de rodas. Se achar que ela está sentindo dificuldade com as barreiras arquitetônicas, ofereça ajuda. Pergunte como deve fazer.


 

09.

Ao conversar com uma pessoa surda, se ela estiver com intérprete, fale olhando para ela e não para o intérprete.


 

10.

Não existe alguém que é “surdo-mudo”. Não use esse termo. Muitas pessoas surdas não falam porque não aprenderam a falar. Algumas fazem a leitura labial, outras não.

 

somos todos diferentes »

inclusão: compartilhe esta ideia

O material humano é a mais importante peça para que as barreiras atitudinais sejam superadas. É preciso quebrar paradigmas. Pessoas com deficiência não são coitadinhas. Muito além do assistencialismo, existem os direitos e a cidadania. Somos parte na construção de um Pernambuco mais inclusivo.

 
 
 
pernambuco-inclusivo-04.jpg
 

11.

Sempre que tiver oportunidade, faça uma audiodescrição do ambiente para uma pessoa cega. É muito agradável para o cego ouvir um pouco sobre o ambiente que ele se encontra. Na hora de descrever, fale detalhadamente tudo ao redor do ambiente, desde a quantidade de mesas e cadeiras aos detalhes das roupas das pessoas.


 

12.

Não se preocupe se falou um veja ou perceba para uma pessoa cega. Eles não se incomodam. Aproveitem para dar umas risadas juntos, ao corrigir o termo.


 

13.

Você pode se oferecer para ser a guia vidente de uma pessoa cega. Se ela aceitar, coloque a mão da pessoa no seu ombro para ela te acompanhar. Sinalize barreiras físicas como degraus e não economize na descrição do ambiente. É sempre bom avisar, antecipadamente, sobre a existência de escadas, pisos escorregadios, buracos e outros obstáculos durante o trajeto.


 

14.

Nunca brinque ou distraia um cão-guia. Ele está ali a trabalho.


 

15.

Fale num tom de voz normal quando fala com uma pessoa que possui deficiência visual. Não é porque ela não enxerga que ela não escuta.


 

16.

Seja natural. Aja com respeito e consideração. Trate a todos como gostaria de ser tratado.